Amor de verão: crença popular, mito ou caviar?

Ah, o amor de verão!

Há mais ou menos 2 anos, pensei ter encontrado o que seria “o” amor de verão. Porém, com o passar das estações, percebi que ele era só mais um… nada de novo, apenas mais do mesmo, como os demais.

E, apesar dessa concretude, segui apegada a ele.

Ainda sigo.

Em meio ao ápice deste verão escaldante, me peguei ponderando sobre esse amor do verão de 2022.

Relembrei todos os acontecimentos. O primeiro encontro, os passeios com a cadela dele, as prosas nas tardes bebendo em barzinhos, o banho de chuva, as noites de sábado e, principalmente, o beijo no último date da vida.

Depois de toda comoção e emoção, as decepções. 

Afinal, o que seria de nós sem as famigeradas decepções?

Esse vai e vem de memórias me colocou em uma corda bamba sobre os amores de verão, mas não vou atravessar sozinha não. 

Será que os amores de verão são reais? Será que são realmente esse unicórnio que muitos dizem viver? Encantadores, mágicos, místicos, ou seriam apenas uma crença popular? Será que é apenas um mito, ou realmente é que nem caviar: nunca vivemos, realmente, apenas ouvimos falar? 

E você, sente que realmente já viveu um amor de verão?

Comentários

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *